comunicacao@igrejacristaevangelica.com.br
+55 (62) 3318-2092

A IGREJA É GLORIOSA

           Quando pensamos em uma igreja como a nossa, tantos pensamentos nos vêm à mente. Podemos contemplá-la de várias formas: Podemos destacar a sua unidade, a sua alegria na adoração, o seu compromisso com a evangelização, o seu cuidado para com as crianças, a sua fidelidade com a obra missionária, o seu zelo pela abertura de outras igrejas, o seu amor para com as Escrituras. Tantos outros sentimentos maravilhosos nos vêm à mente quando pensamos na igreja, especialmente naquela que frequentamos.
            O salvo é ligado à igreja; ele a ama e espera o melhor de Deus para ela. Quem a despreza é o diabo, não os salvos. O inimigo de nossas almas será sempre o acusador dos irmãos (Ap 12:10), o que persegue a igreja e busca o seu mal. Para esta tarefa Satanás não precisa da nossa ajuda. Ele cumpre bem o seu papel. Infelizmente alguns de nós se aliam a ele na função de menosprezar a igreja de Cristo.
Podemos também destacar os erros da igreja, pois eles existem. Qualquer um de nós poderia descrever as falhas da igreja, dos irmãos e dos seus líderes. O próprio Senhor Jesus nas cartas à igreja do Apocalipse destaca os erros e desvios das suas igrejas; no entanto Ele não as despreza. Ele chama todas ao arrependimento, à sensatez e à fé genuína.
            Este texto, mas especialmente o verso 27, fala de uma igreja que aos olhos de Cristo é gloriosa, sem mácula, sem ruga, santa e sem defeito. Conquanto o texto esteja apontando, em um primeiro momento, para aquela igreja da “parousia”, que se encontrará com Cristo no arrebatamento, fala também da igreja militante de hoje, visto que o processo de santificação e lavagem pela Palavra já se iniciou na igreja desde a sua origem. Ele espera a noiva gloriosa mas é Ele mesmo que a prepara para a grande recepção. A visão que Jesus tem da sua igreja é de uma noiva gloriosa.
É aqui que está o nosso maior desafio. A nossa velha natureza está sempre sensível para ver as rugas e as máculas da igreja. No entanto devemos vê-la com os olhos espirituais. Devemos perguntar como Jesus a vê. Qual a visão do fundador da igreja (Mt. 16:18) do seu cabeça, a respeito dela? E olhando a igreja com os olhos de Jesus ele a vê como gloriosa (v.27).
           Ele sabe que ela é imperfeita, que tem máculas, rugas e as manchas do pecado. Ele sabe dos erros de sua noiva, da limitação de seus líderes, da velha natureza de seus membros, mas Ele a vê gloriosa, mesmo que ela a seus próprios olhos e aos olhos do mundo não seja vista assim. O termo “endoxon” (gloriosa) fala de brilho, resplendor, prestígio e honra.
           A igreja não é gloriosa porque se declara assim. O Senhor Jesus é quem a toma e a apresenta assim: para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa. Ele a torna como gloriosa e os méritos são todos dele, e não da igreja. Assim como o marido vê a sua esposa como santa e sem defeito, Cristo vê a sua igreja.
           A igreja é gloriosa por vários motivos. Primeiramente porque Jesus a iniciou. Em Mateus 16:18 Jesus diz que iniciaria a Sua igreja: Sobre esta pedra edificarei a minha igreja.
           Em Atos a igreja nasce após os Apóstolos receberem a ordem de Jesus para permanecerem em Jerusalém (Atos 1:4). No capítulo dois o Espírito Santo batiza os salvos e inicia a igreja de Cristo.
           Jesus, enquanto aqui já anunciava o surgimento de um povo que seria unido à semelhança da união do Pai com o filho (Jo. 17:20-21).
O Apóstolo Paulo orienta que não se pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo (1Co. 3:11).
O Senhor Jesus prometeu estar presente onde, em seu nome, pessoas se reunissem (Mt. 18:20).
A igreja é gloriosa porque é uma criação de Jesus. Ele a viu e a anunciou e se fez o seu fundamento, por isso ela gloriosa.
A igreja é gloriosa porque Jesus é seu cabeça (Ef. 5:23-24). A glória da igreja é vista na glória daquele que a dirige (Cl. 1:15-19). Na perfeição de Cristo a igreja se esconde; na justiça dele ela é justificada.
           Em um nível pessoal é assim que acontece conosco. Nós só somos aceitáveis diante do Pai por causa da perfeição da obra de Cristo. Nós somos pecadores demais e Deus é santo demais. A nossa comunhão não seria possível se Jesus não nos outorgasse a sua justiça. É na beleza dEle que o Pai nos aceita.
           Assim a igreja é pecadora, mas nela está imputada justiça de Cristo. Ela é a sua carne, parte de seu corpo, por isso Ele jamais a desprezará (v.29).
A igreja é gloriosa porque Jesus a resgatou. Ele se entregou por ela (Ef. 5:25). O seu amor foi o motivo pelo qual Ele se entregou por ela e a resgatou.
Pedro, neste sentido, fala do alto preço que Jesus pagou pela sua igreja.
           Sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro, sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo (1 Pe. 1:19-20).
          Aquilo que nos custa muito valorizamos mais. Jesus tornou a igreja gloriosa ao derramar o seu precioso sangue por ela, na cruz. Ainda que a salvação seja uma experiência individual, existe uma dimensão de resgate que é da igreja, do corpo coletivo de Cristo. Os salvos de todos os tempos serão chamados no céu de a igreja dos primogênitos (Hb. 12:23). Na consumação de todas as coisas a igreja se unirá ao Espírito Santo celebrar a salvação (Ap 22:17). Ele a apresentará a si mesmo gloriosa (Ef. 5:27). Ela ainda não ainda pronta para subir gloriosamente e ainda precisa ser alimentada e cuidada (v. 29); mas chegará o dia das Bodas do Cordeiro (Mt. 25:10; Ap. 19:7, 9), do encontro nas nuvens (1 Ts. 4:17). No final de tudo a igreja será convidada a subir (Ap. 22:16-17).
Que lições podemos tirar de tão precioso texto? Se aos olhos de Cristo a igreja é gloriosa, não podemos menosprezá-la. Os que assim fazem não serão louvados (um Co. 11:22). Em certo aspecto perseguir a igreja é como perseguir o próprio Senhor Jesus (At 9: 1-5). Somos chamados a ajudar na sua edificação como pedras vivas. (1 Pe. 2:5). Servir à igreja é servir a Cristo que é o seu cabeça. A igreja é composta por pecadores; ela precisa dos cuidados do Salvador; ela requer o nosso serviço, mas Jesus olha para ela e diz que ela é Gloriosa.

         Amemos a igreja, trabalhemos nela, cresçamos nela, ajudemo-la, oremos por ela, busquemos o seu bem, pois além de sermos membros uns dos outros (Ef. 5:30), somos parte do corpo de Cristo. Isto é glorioso. A sua igreja local, pequena ou grande, é gloriosa, porque ali as virtudes de Cristo o seu cabeça se manifestam. Ela é propriedade exclusiva de Deus (1 Pe 2:9). Sofra as aflições da igreja, como fez Paulo (Cl 1:24) e se alegre com a sua glória.

Descobrir as origens da Igreja Cristã Evangélica do Brasil (ICEB) é como descobrir a fonte de um rio. Em geral, muitas fontes contribuem na formação de um rio, cada uma fornecendo a sua quota de água. O mesmo se deu com o início da ICEB.

Leia Mais

Postagens Recentes