COMUNICADO DA MEAN EXECUTIVA SOBRE O BRASIL

Caros irmãos, graça e paz!


Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,

em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito.

Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,

o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.1 Timóteo 2:1-4.


Todos nós somos cientes de que o Brasil passa por um período de tensão política e social. Há uma discordância entre os Poderes da República sem precedente na história recente do nosso país. Tal situação tem gerado vários conflitos entre a população em geral, incluindo a imprensa, os empresários e até mesmo as igrejas evangélicas.


Qual seria o papel da igreja neste momento? Não é fácil a resposta, a não ser aquelas que já nos são tão claras nas Escrituras. Devemos orar pelas autoridades (2 Tm 2.1,2), ser sóbrios em todas as coisas (1 Pe 4.7), lutar pela unidade da igreja (Fl 2.1-4) e exercer, de maneira equilibrada, os nossos deveres e direitos civis, fazendo o que é certo (1 Pe 4.15,16).


Sobre as manifestações anunciadas para o dia 07 de setembro, como liderança denominacional entendemos que não devemos incentivar ou desestimular a participação dos crentes nelas. Entendemos, no entanto, que os crentes também são cidadãos e como tal eles têm o direito de se manifestar, e isto é claro, de uma forma que não venha a envergonhar o Evangelho do Senhor.


Devemos nos lembrar que na história do povo de Deus houve, em tempos de crise, uma ação mais contundente diante dela. A ação de Mordecai e Ester em favor de Israel não pode passar despercebida para nós. Também temos o apelo do Apóstolo Paulo em exigir todo o respeito das autoridades à sua cidadania romana em algumas ocasiões. Nem sempre o povo de Deus se mostrou resignado diante da injustiça.


O que se deve evitar, no entanto, é que o apoio ou não ao governo desequilibre o bom andamento das igrejas e o amor cristão entre os irmãos. Os homens passam, os governos mudam, mas a igreja fica.


Esta Mesa solicita aos seus pastores e membros, que no dia 07 de setembro, bem no início do dia, todos se dediquem a um período de oração pela nossa nação. Que ela, antes de tudo, continue sendo uma nação livre para a evangelização. Que Deus seja glorificado em nosso país e que nós, como povo de Deus, sejamos agentes para isto.


Pr. Luiz César N. Araújo.

Presidente da ICEB