Cuidando dos doentes de alma

“A testemunha verdadeira livra almas, mas o que se desboca em mentiras é enganador”. Pv 14.25

Especialistas dizem que um dos efeitos dessa pandemia será o agravamento da saúde mental das pessoas. A depressão, os transtornos e o estresse serão potencializados. Como a igreja lidará com isso? Como cuidaremos dos doentes de alma?


“Pois o Filho do Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (Lc 9.56). Alma, aqui se refere à pessoa completa. Salvar a alma é salvar a pessoa; cuidar da alma é cuidar dessa pessoa.


1 – Cuidemos com uma pergunta inicial


Uma ação de Jesus sempre me chamou atenção, quando Ele pergunta a um doente: Você quer ser curado? (Jo 5.6). Preciso fazer isso com mais frequência.


Paulo advertindo a Timóteo diz que os tempos seriam difíceis por causa da maldade dos homens; ele diz: Afaste-se, fuja desses (2 Tm 3.1-5). Faz sentido, pois como cuidaremos de rebeldes? Isso não significa que vamos desistir do cuidado, mas cuidaremos de quem quer. Jesus alertou seus discípulos (Mc 6.11), ensinou esse princípio (Mt 9.12) e lamentou essa realidade (Mt 23.37).


2 – Falemos como Ele falou


O doente de alma ainda precisa ouvir que necessita se arrepender. O Evangelho genuíno, a igreja saudável e o doente responsável, penso essa ser a equação que tornará eficaz o cuidado da alma.


Jesus falava com amor e verdade. Se a nossa linguagem for verdadeira, mas sem amor, ela será cruel; se for amorosa, mas sem a verdade, será bajuladora. Devemos falar a verdade, em amor. (3 Jo 1.1).


3 – Cuidemos, sendo como Ele


O Senhor não destacou que seria por nós, que agiria através de nós, mas disse principalmente que Ele seria em nós (Jo 14.23; Gl 2.20).


Irmãos, somos representantes daquele que é a água para o sedento; a luz nas trevas; o pão para o faminto; a referência para o desorientado; o modelo a ser copiado; o consolo para o aflito; o fiel no mundo dos infiéis; a verdade em meio às mentiras; o reto na sociedade que se entortou. Todos nós temos uma mensagem a proclamar, um guichê para ocupar, uma resposta para ser e uma mão para socorrer. Somos a resposta de Deus para os gemidos. Sabemos administrar conteúdos eternos que curam as doenças de alma. Somos cristãos!


4 –Levemos os doentes ao lugar correto


Davi afirma que “A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma” (Sl 19.7). Que palavras valiosas! O termo “lei” aponta para a realidade de que todos devem obediência; e será nesse lugar onde a alma será restaurada. “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva” (Is 8.20).


Que os doentes de alma amem! Não falta amor, falta amar. Cuidemos dos doentes, levando-os a amar, e assim, livrando-os do egoísmo e dos medos que adoecem (1 Jo 4.18). Estamos prontos! Há bálsamo e médico em Gileade!


Cledyson A. de Souza

ICE Nova Vida - DF