História de Hinos

Você já parou alguma vez para pensar que pode existir uma história por trás de cada um dos hinos que você canta em louvor ao Senhor? Muitos deles há sim um contexto, uma experiência que fez com que o autor escrevesse tão lindas canções. Apresento hoje a história desses lindos e edificantes hinos tão conhecidos por muitos de nós.


Em Jesus confiar


Letra de John Sammis (1846-1919)

Música de Daniel Tower (1850-1919)


Daniel Towner estava dirigindo a música para o Sr. Moody na série de reuniões de uma cidade de Massachusetts. Certa noite um jovem se levantou para dar testemunho e disse: “Não tenho certeza – mas vou confiar, e vou obedecer.” Daniel Towner escreveu esta sentença num papel e mandou com o relato do caso para John Sammis, pastor Presbiteriano. Ao receber o pedido de Towner, Sammis escreveu primeiro o coro, que em inglês diz:

Crer e obedecer, pois não há outra maneira De ser feliz em Jesus, a não ser crer e obedecer.

Dessas palavras saíram as cinco estrofes dizendo as áreas em que o crente deve crer e observar o que Cristo mandar. Publicado em 1887, foi traduzido para muitas línguas. Em português encontramos as seguintes palavras:

“Em Jesus confiar, sua lei observar, oh que gozo, que benção, que paz! Satisfeito guardar, tudo quanto ordenar, alegria perene nos traz. Crer e observar tudo quanto ordenar. O fiel obedece ao que Cristo mandar”.

Rude cruz se erigiu


Letra e música de George Bennard (1873-1958).


George Bennard converteu-se aos 16 anos de idade e trabalhou por um tempo no Exército de Salvação, mas é como pastor metodista que é mais lembrado. Certa vez no Estado de Michigan passou por dificuldades que o fizeram pensar muito no significado da Cruz e nas palavras de Paulo quando escreveu sobre Cristo “e a comunhão dos seus sofrimentos” (Fp 3:10). Convenceu-se de que a Cruz é mais do que símbolo, é o ponto central do evangelho.


Num dia de 1913 começou a escrever “Rude Cruz”. A letra do hino transpareceu as palavras que foram colocadas em seu coração. Pouco tempo depois foi cantada naquela cidade (em 07 de Junho) e dentro de pouco tempo uma pesquisa de rádio o tinha como hino predileto do maior número de pessoas. A mensagem ainda é central, a nossa fé.


A tradução é do Ver. Antônio Almeida (1920): “Rude cruz se erigiu, dela o dia fugiu como emblema de vergonha e dor. Mas eu sei que na cruz nesse dia Jesus deu a vida por mim pecador. Sim, eu amo a mensagem da Cruz, seu triunfo meu gozo será. Pois um dia em lugar de uma cruz, a coroa Jesus me dará”.