O PÓS-COVID NA IGREJA LOCAL

Não foi fácil. Primeiramente, a notícia de um vírus causando mortes na China... Em seguida a constatação do espalhamento dele pelo planeta... Alguns meses depois, a pandemia batendo à nossa porta. Medo, ansiedade e insegurança rondaram muitas casas e afligiram muitos corações!


Comércios fecharam, bem como cinemas, restaurantes, estádios, igrejas. Sim, milhões de cristãos tiveram que abdicar do deleite de se reunirem em comunidade para cultuar a Deus através das programações on-line. Glória ao Senhor por esse recurso em nosso tempo! Mas a Palavra nos admoesta: “Não deixemos de nos congregar...”(Hb 10.25).


Hoje, pela misericórdia do Senhor através da ciência, das vacinas e da cooperação de tantos de nós, a pandemia tem perdido força, tem sido controlada. Então, é hora de voltarmos à nossa comunhão!


– Mas será que estaremos seguros ao sair de casa nesse tempo pós-Covid? – perguntam alguns.


A Bíblia nos responde, dizendo: “Torre forte é o nome do Senhor, à qual o justo se acolhe e está seguro” (Pv 18.10).


Noutras palavras, a nossa segurança não está num lugar construído por homens. Nem mesmo em nossa casa. A nossa segurança está no Autor da vida, no Criador dos céus e da terra, no Todo-Poderoso Deus!


“O Senhor é Quem nos guarda. Ele é a nossa sombra à nossa direita” (Sl 121.5). Portanto, “se o nosso Deus, a Quem servimos, quer livrar-nos, Ele nos livrará” (Dn 3.17), onde quer que estivermos.


Além disso, uma promessa nos enche de esperança: “as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja do Senhor” (Mt 16.18). Muito menos contra qualquer doença ou pandemia. Ninguém ou nada pode calar o louvor, em espírito e em verdade, daqueles que nasceram para a glória de Deus: eu e você.


Por outro lado, sejamos sensatos e prudentes. Sejamos exemplo para o mundo nesse tempo. Não é hora de tirarmos nossas máscaras faciais ainda, nem de desprezarmos a boa higiene das mãos com água e sabão ou álcool em gel. Se apresentarmos sintomas gripais, busquemos ajuda médica imediata. Cuidemos da saúde física, mental, emocional. Enchemo-nos do Espírito Santo de Deus diariamente!


E aos nossos irmãos, que ainda temem a doença ou sofrem com sequelas dela, não julguemos... oremos por eles! Não critiquemos... ofereçamos ajuda e uma palavra de conforto! Não desprezemos... andemos quantas milhas forem necessárias ao lado de cada um. Pois quantos sofreram perdas, adoeceram, perderam emprego!


Portanto, é hora de nos abraçarmos novamente. Não nos envolvendo com os braços ainda, como fazíamos antes. É hora de abraçarmos com os olhos e com o coração. Numa só voz, num só amor, numa só fé, num só Senhor!


PABLO BERNARDES

Psiquiatra / Médico do Trabalho

Presbítero na ICE Central de Goiânia

@saudementaldocristao