top of page

PAULO: “TEM CUIDADO DE TI MESMO”


“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina ... Continua nestes deveres” – 1Tm 4.16  


Paulo aqui está exortando o jovem pastor Timóteo à fidelidade no ministério. “Ninguém o despreze por você ser jovem, pelo contrário, seja um exemplo” (v.12)


O cuidado pessoal do pastor


 – “Cuida de você mesmo e da doutrina”. Aqui sou eu, John Barnett, um pastor de 87 anos, exortando meus colegas, pastores jovens e pastores mais maduros na vida cristã.


Paulo sabia que um líder do povo de Deus precisa ter o desejo de liderar, gozar do respeito dos membros, e de ser capaz de adaptar-se às circunstâncias que variam de um dia para o outro.


Mas, junto ao desejo legítimo de liderar, há um inevitável recuo emocional. Refletindo sobre nossas limitações, pensamos: “quem é suficiente para estas coisas?”.  Apesar de ser um grande privilégio ser pastor, como Paulo diz: “Se alguém deseja o episcopado, excelente obra almeja”, diferentemente de outras esferas de liderança, a liderança cristã exige humildade. É nesta tensão entre a aspiração e o reconhecimento da nossa insuficiência que a fiel liderança é exercitada.


Mas a liderança efetiva não depende da nossa capacidade de liderar e sim do nosso relacionamento com Deus, do tempo gasto a sós com Deus diariamente e da nossa santidade. O pastor tem que viver uma vida santificada.


No fim do seu ministério, será que você vai ser lembrado como um pastor bem-sucedido? Pode ser que sim, mas o que isto importa? Não é sobre o que seus parentes e amigos vão dizer, mas sobre o que Deus dirá no dia da sua morte. Veja o que Paulo falou em 1Co 3:12-15: “Se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, a obra de cada um se tornará manifesta, pois o Dia a demonstrará... Se aquilo que alguém edificou sobre o fundamento permanecer, esse receberá recompensa. Se a obra de alguém se queimar, esse sofrerá dano”.  Que desafio! 


O que você quer ouvir dos lábios do seu Salvador é “Servo fiel ... entra”.  Seu alvo deve ser tornar-se um líder fiel, e servir bem a sua igreja, porque a vida espiritual do pastor determina, em grande parte, a vida espiritual da congregação. Isso quer dizer que nosso sucesso, nossa fidelidade e nossa liderança durarão na eternidade.


Como definir um ministério de sucesso


Humanamente falando, Paulo teria falhado quando ele escreveu sua segunda carta a Timóteo. Afinal, ele estava na prisão, enfrentando a execução.  Seus seguidores o estavam abandonando, e algumas igrejas que ele tinha fundado estavam enfrentando divisão interna e perseguição. E, enquanto sofria na prisão, ele não sabia que as igrejas que havia plantado estavam crescendo de uma maneira sobrenatural. Mesmo assim Paulo não via sua vida como um fracasso, sem sucesso.  Ele chamou Timóteo para viver uma vida de “sucesso” eterno – com um alvo somente. O alvo do obreiro deve ser “Procure apresentar–se a Deus aprovado” (2Tm 2.15).


No cuidado pessoal do pastor há requerimentos para o obreiro. O primeiro, ser um exemplo para os crentes, “na palavra, na conduta ...” (1Tim 4.12), vivendo uma vida autêntica. O segundo, “manejar bem a palavra da verdade”. Isso deve ser o ponto alto do nosso ministério. A Bíblia é nossa última autoridade em doutrina e comportamento porque é a palavra da verdade. É a palavra que se originou na mente de Deus – o que Ele tem falado. Não podemos ensinar qualquer outra coisa. Infelizmente é isso que tem acontecido em muitos púlpitos. O pastor se levanta e lê uma ou duas frases de uma passagem bíblica e usa como ponto de partido para justificar seus próprios pensamentos. Não! Um ministério abençoado é quando “manejemos bem a palavra da verdade”. Paulo insiste que o fiel obreiro “pregue a palavra, insista, quer seja oportuno, quer não e ... cumpra plenamente o seu ministério” (2Tm 4.2,5).

 

Rev. John Barnett

Editora Cristã Evangélica

Comentários


bottom of page